O empoderamento feminino precisa desabrochar – 9º Ano

A partir da proposta de leitura do livro Empodere-se – 100 desafios feministas para reconhecer sua própria força e viver melhor, de Maynara Fanucci, na última segunda-feira, 10 de setembro, a turma do 9O ano recebeu a visita de duas ex-alunas para conversar sobre as questões ligadas à intimidade e aceitação de si mesmas por parte das mulheres. Tatiana Allegro, formanda na turma de 1998 e Débora Mattos, de 2004, respectivamente, editora e designer que participaram da confecção do livro, voltaram ao colégio para levantar aspectos da discussão sobre o feminismo e tratar do empoderamento das mulheres com base no cenário atual e nos desafios citados no livro.

“De fato, não é um livro sobre feminismo puro e simples. É como se fosse um livro sobre feminismo na prática, ou seja, como ajudar de maneira prática muitas meninas e mulheres por aí que precisam desmistificar uma série de ideias que elas têm a respeito do próprio corpo e do próprio comportamento na sociedade” – Tatiana Allegro.

Por três aulas as ex-alunas mostraram aos alunos um panorama dos últimos dois anos de como o tema está na pauta dos meios de comunicação e das redes sociais, salientaram o diferencial do livro Empodere-se e ainda propuseram uma dinâmica aos alunos. Em grupos de meninos e meninas, foi proposto que escolhessem alguns dos 100 desafios propostos pela autora, debatessem e analisassem a relevância daquele desafio, como acontece na prática e de que forma atinge também os meninos.

Ao final, cada grupo compartilhou um pouco das reflexões que tiveram. Abaixo segue texto feito pela aluna Narayana Vrinda Bittencourt, do 9ºA, sobre a discussão:

”Está na hora de aprender a se amar, na verdade já passou do tempo de aprender e querer se amar. Se ame mulher. Seu corpo pede socorro, liberte-se dessas algemas, cuide dele, ele não merece ter que viver em uma caixinha por alguém ou por você achar que ele não é suficiente. O corpo é seu! Seu corpo é lindo do jeitinho que é, e não do jeito que a sociedade queria que fosse! Ninguém tem que “querer” nada por você, seu corpo é seu e só, a única pessoa que pode exigir algo dele é você. Aprenda a se amar, a se aceitar, se respeitar, a se QUERER. Ninguém vai fazer isso por você, até porquê sempre vai ter algo de errado, algo para apontar o dedo e julgar. Ou você está magra demais, ou gordinha demais! Você tem peito demais, ou tem muito pouco peito, você come demais, ou come muito pouco, “tome cuidado!”… NÃO, nunca está suficiente. Parem de ficar opinando/achando algo do corpo de outra pessoa, você não tem que achar nada, O CORPO NÃO É SEU! Você já tem um com o qual se preocupar! Até porque seu comentário pode prejudicar e trazer muita dor à outra pessoa. Se não tem o que falar ou se o que for falar não tem valor, o melhor é ficar calado. Não se abale com ideias e pensamentos distorcidos da realidade que estão lá no fundo do seu coração! Você se ama, mas é preciso despertar esse amor perdido e expulsar esse padrão. A beleza de alguém não significa a ausência da sua. O corpo é seu. O corpo é seu, o corpo é seu e o corpo é seu! Já que você passará o resto da sua vida nesse corpo, por que não começar a despertar amor por ele? Sempre em constantes mudanças, para você aprender a amá-lo independendo do seu aspecto e da sua forma, e #TODAS as mudanças SÃO LINDAS! O bonito é ser real! Está na hora de colocar um PONTO nessa história de não se aceitar! Entender de uma vez que o meu corpo é meu, e com ele eu faço o que bem entender, e não para agradar a opinião alheia; para me sentir bem, confortável, feliz e livre do JEITO QUE EU QUERO.” Narayana

Vale lembrar que esse tema foi abordado com a turma do 9Oano em variadas atividades desde o começo do ano com as professoras de Língua Inglesa, Espanhola, Produção Informatizada e com o professor de Língua Portuguesa com vistas a apresentação de alguns trabalhos no dia da “Vivência, conhecimento e amizade” a ser realizada em 15 de setembro.

Prof. Paulo Roberto Laubé